• Paula Teixeira

Aprenda a destravar o Mindful Eating nas suas consultas. - ESPECIAL PROFISSIONAIS DA SAÚDE



Quando nós começamos a atender, tanto eu - Paula Teixeira - quanto a nutricionista Driele, foram anos de prática para transportar o Mindful Eating à cada paciente, de uma maneira amorosa, simples e eficaz. Hoje, eu e a Nutricionista Driele Quinho, iremos bater um papo sobre como DESTRAVAR O MINDFUL EATING no consultório.


  1. Como fazemos para destravar o Mindful Eating no consultório?

Iniciamos um processo de destrave, quando temos maior clareza sobre a prática.


Partindo de uma abordagem com a dieta, tanto o médico quanto o paciente já sabem o que vai acontecer e quais serão os próximos passos. Está tudo muito claro, visto o padrão previamente imposto!

Quando transpomos da abordagem com a dieta para a abordagem sem a dieta, o cenário muda por completo. Logo, surge o questionamento: Qual é o mapa que o profissional e a paciente irão trilhar?


2. Como tornar o Mindful Eating mais claro para o paciente?


Existem alguns passos na abordagem do Mindful Eating para consultórios, segundo a nossa vivência, que irão sanar algumas dúvidas sobre o processo:

  1. Estabeleça entre o paciente uma maior frequência de encontros no início.

  2. Onde o paciente se encontra? Seu paciente já nomeou esse sofrimento com a cultura das dietas? Ou ainda não sabe que está sofrendo? É fundamental checar essas informações para cada indivíduo, a fim de construir uma maior compreensão da fase em que ele(a) se encontra.

  3. O que pode ser útil para aliviar o sofrimento na primeira sessão? A anamnese é feita com uma nova intensão, a fim de servir o paciente através de uma nova mentalidade!

  4. Na segunda sessão, podemos nos questionar e nos aprofundar sobre o que aconteceu e mudou para o paciente após a primeira consulta? Esse será o primeiro ambiente neutro em que paciente se sentirá em relação ao peso. Ancore e receba a percepção da paciente sobre esse novo momento!

  5. A partir das respostas do paciente, você inicia o descobrimento dos próximos passos. Nesse momento a percepção é puramente individual a cada atendimento, compreendendo as próximas etapas a serem seguidas.

  • Aplique alguns questionários, para enxergar as carências visíveis na alimentação. Ele precisa treinar a atenção ao comer? Necessita compreender melhor a conexão com a fome? Entre outras perguntas.

  • Ouvindo as respostas, iniciamos a construção do mapa de atendimento.


É importante que o paciente entenda o processo e o que está acontecendo!


Quer mais informações sobre o assunto? Abaixo, vídeo completo, com mais detalhes pra vocês!







21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo