• Paula Teixeira

Medo da Comida, Alimentação Saudável e Mindful Eating- Texto Produzido para CENTRO BRASILEIRO DE MIN













Os meios de comunicação gostam muito de falar sobre o que você deve comer. Você provavelmente está vendo muitos artigos sobre os perigos do açúcar, das gorduras trans. Nem as pobres das frutas estão mais a salvo. O pão integral não é tão integral assim. Os alimentos lights não tão bons quanto se pensava….ainda a gordura é o novo sinônimo de comida saudável, a mesma que era veneno há alguns anos.


Confuso? Você não está sozinho.





Quando pergunto às pessoas o que é “alimentação saudável”, suas respostas refletem todo o senso comum sobre alimentação saudável e a confusão vem junto com a resposta.


Mas geralmente, as respostas também refletem a crença de que comer saudável é sobre regras de dieta. Regras que nós, como uma população que aprendeu com os mais de 60 anos de dietas ficamos repetindo sem nos questionar.


Você sabe essas regras: Coma muitas frutas e legumes. Ignore as sobremesas. Coma pouco carboidrato. Sempre comer pequenas porções. Comer de 3 em 3 horas.


A crença é de que uma alimentação saudável é chata e restritiva. Não admira que tantas pessoas lutem com as dietas todos os dias.


Depois de algumas semanas fica insustentável e leva a obsessão por alimentos “proibidos” – os que contêm açúcar, normalmente.


Eventualmente, você sucumbi ao desejo e come – e provavelmente come demais, porque a mentalidade se torna, “bem, eu já sai da minha dieta, eu posso então comer a coisa toda”, ou “Eu vou comer agora que já sai da dieta, porque amanhã eu vou comer direito. “


Estamos em um ponto que precisamos deixar de ter medo de nos alimentar para nos aproximar novamente da sabedoria que nosso corpo tem de nos informar como estamos nos sentindo após comer cada tipo de alimento.




A pior parte é, raramente você desfruta da comida que você decidiu comer demais, pois você está com tanta culpa e vergonha sobre a escolha que você acabou de fazer, pensando em como você falhou novamente, como você simplesmente não parece ter a força de vontade necessária para “comer direito”. Frequentemente você apenas joga suas mãos acima e diz, eu desisto.



Então, qual é uma definição real para “Alimentação Saudável”?


O foco único em alimentos “bons” e “maus” é o típico mal-entendido sobre uma alimentação saudável pois negligencia uma FUNÇÃO-CHAVE de comer que é o PRAZER!


Naturalmente, é importante incluir de alimentos integrais, nutritivos e verdadeiros em nossa alimentação. Mas é igualmente importante incluir alimentos que gostamos!


Então, nós encorajamos você a pensar sobre a alimentação saudável como uma maneira de se sentir bem. E isso significa ter como objetivo equilibrar o comer para a saúde com comer por prazer. Ou seja, incluir alimentos que contêm o combustível e os nutrientes que seu corpo necessita sem sacrificar o prazer de comer.


Aqui está uma definição: Alimentação saudável é comer de uma maneira que te faz sentir-se bem no momento em que está comendo e depois.



7 pontos para comer saudável e com Atenção Plena sem medo dos alimentos



1-Sintonize com a sua fome interna



Quando você quiser comer, primeiro avalie o seu nível de fome. Isso irá ajudá-lo a determinar se você quer comer porque você está fisicamente com fome ou por algum outro fator.


Se é fome física, sabendo como você sente fome também irá ajudá-lo a determinar a quantidade de alimento que você pode precisar para se sentir satisfeito. Por exemplo, você está com fome de um lanche, ou você precisa de uma refeição?


Se você não está fisicamente com fome, mas ainda quer comer, esta é uma boa informação que outra coisa está desencadeando esse desejo (por exemplo, você está se sentindo triste). Você pode então explorar mais suas opções para resolver essa situação (que ainda pode incluir comer!).



2- Considere o que você quer comer


Aproveite o tempo para avaliar suas opções de alimentos e decidir que alimento (s) seria melhor para satisfazê-lo. Qual seria o melhor sabor para você? O que seria mais eficaz para satisfazer o seu nível de fome?

Há alguma coisa que você sente que não tem recebido atenção o suficiente ultimamente? Como os alimentos que você está considerando fazem você se sentir?


A chave aqui é dar-se permissão para comer o que quiser, e permitindo-se o espaço para decidir o que vai atender às suas necessidades e ajudá-lo a se sentir o seu melhor sem estar vinculado por regras e restrições. Isso parece contrário, porém a questão é sobre como comer os alimentos “proibidos”.



3- Se escolher comer um alimento que considera proibido coma com atenção


Caso você realmente perceba que sua escolha foi comer um alimento que você se sente mal por comer. Coma com atenção plena, sente-se para comer esse alimento e faça disso um grande evento. Preste atenção em cada segundo do processo de comer. Deixe os pensamentos e sentimento de culpa ou vergonha desaparecerem como nuvens, eles apenas vão perpetuar o ciclo de comer demais. Tente notar tudo o que a comida desperta em você e aproveite ao máximo. Os estudos mostram que comer dessa maneira na verdade diminui as porções de comida ingerida.



4. Conheça o seu alimento.


Mas Quando estiver comendo, apenas coma. Não assista TV, trabalhe ou qualquer outra coisa. Olhe para a comida no seu prato, mastigar lentamente, sinta realmente gosto. Esteja totalmente presente, aprecie o que você está comendo e, em seguida, passe para a próxima coisa. Em breve você descobrirá que mesmo os alimentos “proibidos” não são realmente tão assustadores. E observe o que esse alimento faz com suas sensações. Você se sente mal depois de comê-lo? Talvez não seja sua primeira escolha na próxima vez.



5. Escolha alimentos para o seu benefício.


Em vez de dizer “não” ao que você não quer, tente dizer “sim” para o que você quer. Em vez de dizer “eu não posso comer doces porque engordam”, tente dizer “eu escolho comer esse iogurte porque melhora meu transito intestinal.” Mesmo resultado final – mas em vez tudo o que resistimos costuma persistir. Se você apenas olha para o que você não quer, você está escolhendo o que quer.



6. Comer para a saúde.


Há um monte de comida vazia lá fora e é razoável ter cuidado. Coma pensando em nutrir e cuidar verdadeiramente de você e do seu corpo. Não apenas porque quer emagrecer.



7. Confie em si mesmo.


Você tem medo de comer o saco inteiro de algum alimento proibido? É um medo comum. Quando tememos comida, não é realmente a comida que temos medo. É a nossa reação descontrolada a ela. Uma colher de sorvete se transforma em um litro, alguns bolinhos se transformam em um saco inteiro. Isso pode acontecer no início. Mas os estudos demonstram que quando as pessoas se permitem remover os rótulos comer com atenção um alimento “proibido”, este logo perde seu apelo. Uma vez que você o vê como apenas um outro alimento, você se liberta.


Logo, mindful eating não é receita rígida do que comer.


Ele fornece apenas estrutura suficiente para ajudar aqueles de nós que se sentem completamente sobrecarregados com a idéia de uma alimentação saudável. Mas há muita flexibilidade para adaptá-la às nossas necessidades individuais.



Faça com que cada ocasião de comer seja uma experiência sensorial completa – aprecie as cores, texturas, sabores e aromas de cada prato.


Por Paula Teixeira


http://mindfuleatingbrasil.com.br


fontes:InspiredEating, www.fitwoman.com.

0 visualização

©2019 by Dra. Paula Teixeira Mindful Eating e Autocompaixão.
Entrega Imediata